sábado, 18 de fevereiro de 2017

Extraordinário (R.J.Palacio)

 ISBN:978-85-8057-301-5
Título original: Wonder
Tradução: Rachel Agavino
Cidade/Editora: Rio de Janeiro/Intrínseca
Ano de publicação: 2013
Link: Skoob
Classificação:
August Pullman nasceu com uma síndrome facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca freqüentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Preste a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.
Até que enfim, o universo conspirou ao meu favor e eu consegui ler o livro que tanto queria! OK, um pouco é culpa da Milena (obrigada Miss!), mas outras pessoas também indicaram a leitura e eu fiquei super ansiosa para ler um livro que todos diziam ser ótimo. E antes mesmo de terminar já tinha se tornado um dos meus favoritos.

Auggie é um garoto de dez anos de idade, que gosta do Darth Vader, tem uma cachorra chamada Dayse, uma irmã mais velha, a Olivia, e pais super dedicados, porém existe algo que o torna diferente dos demais, uma anomalia genética que acometeu sua face e faz com que as pessoas desviam os olhares, as crianças assustarem e cochicharem quando ele passava. Era tão comum isso acontecer que ele parecia não se importar, ao contrário de sua irmã, Via, que o amava muito e sempre o defendia.
            Então, um dia sua mãe conta-lhe que estavam pensando em colocá-lo em uma escola, ele nunca tinha frequentado uma, sua mãe que sempre lhe ensinou em casa, pois passou grande parte de sua vida em hospitais e devido aos problemas de saúde não tinha conseguido entrar para uma escola, e a ideia foi recusada imediatamente, pois ele não se sentia preparado para isso.

Mas de algum modo acabou aceitando sua missão, que realmente era um desafio, pois ser aluno novo já é difícil, a insegurança, o medo de não fazer amigos, ainda mais no caso de Auggie, que logo virou assunto das fofocas entre os grupinhos.
        Todos os personagens são interessantes, mas lógico que sempre tem aqueles que se destacam com as suas características, e além de Auggie, com sua coragem e determinação, Olivia também merece admiração, pois é claro que seu irmão sempre ocupou um espaço maior, e ela consegue lidar com a situação mesmo que não seja fácil, além disso, ela é uma garota muito inteligente e uma ótima leitora.
Sobre a diagramação, a capa é linda, amo azul e achei que foi uma cor que combinou com a história, as folhas são amareladas <3 a letra tem um tamanho e uma fonte boa. O livro é dividido em oito partes, sendo que a narrativa em primeira pessoa é intercalada entre alguns personagens: Auggie (o principal), Via, Summer, Jack, Miranda e a parte de Justin, que no caso foi a única que eu me incomodei com a escrita, as palavras são todas minúscula, mesmo depois de parágrafos e das pontuações, as frases são cortadas ao meio com ponto, não tem separação nas falas, enfim, fiquei um pouco confusa enquanto lia, e me perguntei por um bom qual havia sido a intenção da autora em ter essa escrita desta forma nessa parte específica.

Além da história, gostei muito de outras coisas que completaram o livro, como as frases escolhidas para cada parte, elas se encaixam perfeitamente ao personagem e também as referências de filmes e livros, inclusive um que eu gosto muito: O Hobbit e outros que tenho vontade de ler.
             Levei apenas um dia para ler, é uma leitura tranquila no sentido da narrativa e ao mesmo tempo emocionante por ser uma história tão delicada e tratar de um tema tão importante: a inclusão.  Ao terminar fiquei refletindo que às vezes podemos ser arrogantes sem querer, ao ver uma pessoa “diferente” tendemos agir de forma indiscreta, só que nunca paramos para pensar em como ela se sente, e é exatamente isso que o livro trás. Percebe-se também que sempre existiram rótulos e separações entre “normais” e “anormais”, e que alguns dos alunos que foram preconceituosos com Auggie na escola, nada mais estavam repetindo o comportamento dos pais, o que nos leva a pensar que nosso comportamento pode apenas ser uma cópia daquilo que vemos, e a grande maioria das vezes o preconceito está impregnado culturalmente. 

            Foram tantas coisas que me surgiram enquanto lia o livro, acho que seria uma boa ideia fazer um debate sobre ele hahaha (mas é sério! São coisas importantes que deveriam ser faladas). E só para terminar (gostei tanto que estou quase escrevendo um artigo ao invés de uma resenha ahausuashuas), refleti que, mesmo em mundo cheio de crueldade, sempre haverá espaço para a gentileza, o amor e a empatia.

 “Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos no mundo.” - Auggie

Me contem o que acharam!
Beijinhos <3

2 comentários:

  1. Até que enfim leu o livro hahahaha
    Eu nunca vou superar Extraordinário, ele livro é incrível demais e eu tô até pensando em lê-lo novamente pela terceira vez.
    Tô louca para assistir ao filme também, com certeza vai ser lindo <3

    Beijo <3
    literarizandomomentos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até que enfim né? Depois de você tanto falar hahahaha
      Eu tenho vontade de sair pedindo para todo mundo ler ele! É tão lindo!
      Verdade, eu tinha esquecido do filme, espero que seja <3
      Beijos

      Excluir

Pin It button on image hover