Páginas

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

[Resenha] Jane Eyre

Autora: Charlotte Brontë
Título Original: Jane Eyre
Tradução: Miércio Táti
Cidade/editora: Edições de Ouro/Rio de Janeiro
Ano de Publicação: 1971
Páginas: 202



Como eu já havia falado no instagram (@lovely.placee), este ano decidi que vou realizar o Brontë Book Challenge, inspirada pela @sabrinarebelo. Este desafio consiste em ler um livro por mês das irmãs Brontë, totalizando seis livros (somente os romances publicados em português). No meu caso, só vou ler cinco, porque já li o Morro dos Ventos Uivantes e apesar de pretender reler, não vou fazer isso no momento.
Jane Eyre é um livro que pode ser considerado praticamente uma autobiografia da autora Charlotte Brontë, escrito em primeira pessoa ele contará a vida da pequena Jane Eyre, órfã dos pais desde bebê que passou a ser cuidada pelos tios, porém com a morte do sr. Reed, irmão de sua finada mãe, ficou a mercê da tia que a desprezava e dos primos John, Elisa e Georgiana que a humilhavam e judiavam dela (principalmente John). 

Nesta época, morando na mansão Gateshead, depois da morte do tio, Jane tinha 10 anos de idade e já sofria agressões físicas, verbais e psicológicas. Seu refúgio era os livros. E entre todos os moradores da casa, tinha uma das criadas que lhe demonstrava afeto, o que fazia falta para Jane. Ela não era uma criança mal, como diziam ser, apenas um pouco impulsiva (característica que levou para vida toda) e não aceitava levar desaforo.

Um dia, deixada de castigo pela tia no quarto vermelho (quarto do falecido tio), Jane ficou com muito medo e assustou com um possível fantasma, chegando a desmaiar depois de ter o socorro negado. Depois deste episódio, passou a chorar incontrolavelmente, o que levou a chamarem um boticário (médico só chamava para a família). O homem sabendo de como tratavam a menina na casa, propôs que ela fosse para um colégio, o que alegrou a todas (tia e sobrinha).
Jane não sabia nem o que era um colégio, mas ainda assim preferia o desconhecido do que continuar vivendo naquela casa, então foi com muita surpresa que se viu em Lowood, que na verdade era um sombrio orfanato. Sua primeira amiga foi Helena Burns, e logo se aproximou da professora Miss Temple. Também aprendeu a se livrar de acusações falsas com atitudes menos impulsivas, se tornando uma ótima aluna e posteriormente professora do colégio. Em busca de sua liberdade, ela decide ir em busca de outro emprego na cidade, publicando um anúncio no jornal, consegue ser preceptora de uma adorável menina, e então começa sua nova jornada em Thornfield.

"- Não pode imaginar a que ponto o amor fraterno me faz falta! Nunca possuí um lar, nunca tive família."

No  livro fica tão claro como o dinheiro muitas vezes nada significa para aquele que lhe falta ser amado. É um história linda, emocionante (teve uma parte que eu acabei chorando hahaha), ainda mais sendo praticamente um relato da história da pequena Charlotte. E como uma boa apreciadora de romances policiais, não posso deixar de admirar o mistério que existe na história.
Eu estava com as expectativas altíssima, querendo muito gostar da história e com medo de me decepcionar, mas superou as expectativas, se tornou um dos meu favoritos. Nunca nenhuma outra personagem tinha me cativado tão rápido quanto Jane Eyre. Desde criança, com sua faceirice incompreendida, tanto jovem em busca de sua independência, quanto adulta em conflitos por uma grande paixão, ela se mostrou dona de si, uma pessoal amável, mas que também sabe repreender, gentil, mas que não se deixa levar por falsas demonstrações de afeto.

Já leram este livro ou algum outro das irmãs Brontë?
Beijos

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

[Resenha] Tolkien O senhor da Fantasia

Autor: Michael White
ISBN: 978-85-9454-020-1
título original: Tolkien: a biography
Tradutor: Bruno Dorigatti
Cidade/editora: Rio de Janeiro/Darkside Books
Ano de Publicação:2016
Páginas: 280
Tolkien, batizado pelo nome de John Ronald Reuel Tolkien, nasceu em uma família humilde em Broemfontein na África do Sul no ano de 1892. Seus pais eram de Birmingham, porém com o desejo de crescer e ter uma carreira que proporcionasse uma vida digna para a esposa e os filhos, Arthur, pai de Tolkien parte para África ao receber uma oferta de trabalho. E quando conseguiu um bom cargo, casou-se com Mabel, mãe de Tolkien. E foi naquela cidade que Tolkien nasceu, porém não era um lugar muito agradável para quem estava acostumada com o clima mais ameno da Europa, a cidade era quente, cheio de insetos (com uma aninho Tolkien foi mordido por uma tarântula e teria morrido se a babá não tivesse sugado o veneno rapidamente).
Após o nascimento do segundo filho, Hilary, Mabel decidiu voltar para a Inglaterra onde teria o apoio da irmã para cuidar dos filhos. E por infortúnio da vida, Arthur ficou doente e acabou falecendo longe da família, sem a oportunidade de conquistar seus sonhos e ver os filhos crescerem.
Sua mãe continuou morando com a família, mas não por muito tempo. Sabemos que divergências religiosas causam conflitos até hoje, imagina em uma época mais conservadora. E foi por esse motivo que a família cortou relações com a mãe de Tolkien, por ela ter mudado de religião. E então, mais uma vez, a vida das pequenas crianças sofreu outra grande mudança, de uma bela casa no campo, onde surgiu os primeiros vestígios das esplêndidas criações fantasiosas de Tolkien, para uma casa "desagradável".
Em uma das mudanças de casas, conheceram o padre Francis quem ajudou muito a família e foi um grande incentivador para os estudos de Tolkien, e também foi quem o impediu-o de manter contato com a Judith (uma moça órfã por quem Tolkien se apaixonara), até que ele terminasse a faculdade. 
As mudanças constantes de moradia foi algo que marcou a vida toda de Tolkien, e o que era sempre um incômodo para sua esposa. E apesar de Tolkien ter sido um ótimo pai, não me pareceu um ótimo marido. Quase não ficava em casa, saindo com os amigos para discutir suas histórias e quando estava em casa, estava trabalhando (o que ela fazia muito!).
No livro tem uma parte sobre a Primeira Guerra Mundial (que Tolkien participou como soldado e foi algo muito marcante em sua vida), bem triste. Sei que é sempre triste, mas ultimamente ler sobre isso está me deixando mais melancólica do que antes. Tanto que não tenho mais coragem de ler livros que falam especificamente sobre isso. A guerra também teve uma grande influência nas criações de Tolkien.
Na história também irá contar sobre amizade de Tolkien com C. Lewis, que em 1930 já previa que O Hobbit se tornaria um clássico. E é preferível ler esta biografia depois de já ter lido as obras do Tolkien, a menos que não se importe de receber spoiler. No meu caso estava lendo junto com O Silmarillion, já devem imaginar...
Tolkien era perfeccionista ao extremo, deixando claro que não era nada fácil trabalhar com ele. Além de ser o maior crítico do seu trabalho, não é a toa que levou sua vida inteira para publicar sua obra, trabalhou nelas até seus últimos dias. E ainda deixou muitas coisas incompletas, que seu filho mais novo e o mais apegado ao trabalho do pai, concluiu. E pode-se perceber claramente que os defeitos tendem a piorar na velhice.
Sobre o livro (fisicamente), não tenho palavras para descrever como ele é lindo! Primeiro que todas as edições que eu já vi da Dark Side Books são maravilhosas. Mas esse... <3 As folhas são amarelas, a fonte tem um tamanho muito bom, o livro é cheio de detalhes, no final tem algumas fotos da família, da escola em que Tolkien estudou, das trincheiras, de Oxford, etc. Além de vir com um pôster que tem a foto do Senhor da Fantasia de um lado e um mapa  do outro (que pretendo emoldurar).


Acho que ficou bem claro que eu amei o livro, não é mesmo?

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Lidos na Maratona Carnavália

Olá! Não sei se você me acompanha nas redes sociais, mas rolou uma maratona literária no carnaval, do dia 10 ao dia 14, foi a #maratonacarnavalia realizada pela Paula Carvalho do @queromorarnumalivraria. Eu escolhi esse livros da primeira foto para ler durante esses cinco dias. A regra era ler 100 páginas por dia, 500 no total.
Dos oito livros que eu escolhi, consegui terminar quatro, porém O tempo e o cão, As aventuras psicanalíticas do Inspetor Canal e O nome da rosa, eu nem peguei (mas pretendo começar ainda esse mês). Por incrível que pareça (eu que sempre fui a piriguete literária), desta vez eu terminava um livro para começar o próximo.

Os que eu li: Jane Eyre da Charlotte Brontë, A prima Bete do Honoré de Balzac, Para Sempre da Alyson Noël e O Silmarillion do J.R.R. Tolkien e algumas páginas de Dom Quixote do Miguel de Cervantes. Eu não vou falar sobre os livros neste post, porque irei fazer a resenha de todos eles, exceto Para Sempre que eu já fiz a resenha no instagram (@lovely.placee).

Eu gostei bastante da experiência de participar desta maratona, e ainda mais porque superei a meta de 500 páginas e li 767! 

E você, participou de alguma maratona literária ou curtiu a folia?
Beijos

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

[Resenha] Não é um Conto de Fadas

Autora: Kim RosaCuca
ISBN: 9788566442151
Cidade/editora: São Paulo/Hyria
Ano de Publicação: 2016
Páginas: 144
Livro cedido pela editora

O livro irá contar a vida da Kim e como diz o título, não tem nada de conto de fadas. Kim foi uma criança bem sapeca, e desde pequena viveu com seus pais separados, então acabou se mudando de casa várias vezes, ora com a mãe em Curitiba, ora com o pai no Mato Grosso do Sul. Nessas suas andanças, conheceu várias pessoas, novas escolas, novas famílias.
A história se inicia com um relato da sua mãe e do seu pai 2. Depois Kim conta sobre quando nasceu, sua infância no Mato Grosso do Sul e o episódio hilário de como conheceu seu novo pai e, claro, muitas das suas travessuras. Mas chegando aos dezoito anos, conquistou a tão sonhada liberdade (não de uma forma muito boa), e ainda bem que muitas coisas deram erradas, porque senão será que hoje ela teria essa sua vida junto com sua família e um canal no youtube com 5 milhões de inscritos?
É interessante que mesmo convivendo com pessoas sem muito juízo, tendo vários outros caminhos para seguir, e decisões mais erradas que poderiam ter tomado devido as circunstâncias em que ela se encontrava, Kim sempre sonhou em conquistar algo, e isso a moveu para arrumar trabalhos honestos (mesmo alguns sendo péssimos), entrou para a universidade (duas vezes!), e ainda que não não terminou os cursos, isso a ajudou a buscar novas coisas que fizessem ela feliz. E podemos acompanhar todo os seu crescimento e  a sua autoaceitação.
E sendo um livro mais voltado para o público adolescente, isso é muito bacana, pois sabemos que é uma fase em que meio a tanta confusão, geralmente existe uma baixa autoestima, manipulação por parte das outras pessoas, se sujeitando ao outro em busca de aprovação, sendo influenciado por amigos não tão amigos... e isso tudo podemos ver claramente em sua história.
A escrita do livro é simples, a capa é bonita, as letras tem um tamanho ótimo e a fonte varia, as vezes de letra de forma, as vezes cursiva, sendo que o livro é interativo, tendo espaços para o leitor escrever. Além de ter muitas fotos da Kim.
Quem me acompanha já deve ter percebido que eu nunca li livro de youtuber e admito que tinha os dois pés atrás em relação a esses tipos de livros, mas tudo tem a primeira vez na vida e é ótimo estarmos abertos a novas leituras e possibilidades de conhecer novas histórias. A leitura do livro foi bem rápida, pois é um livro fácil e gostosinho de ler.
Alguém já conhecia o livro? Ou o canal dela?
Beijos

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Parceria com a editora Hyria

Olá!

Temos uma novidade bacanérrima para o blog e claro que fiquei muito feliz! O LP fechou sua primeira parceria e foi com a Editora Hyria.
Para conhecer mais sobre a editora:

Missão
Acreditamos que a leitura é muito mais do que ler um amontoado de palavras, é você se conectar com a história, é um momento de aquisição de conhecimento, e essencial para qualquer pessoa, independente da idade. Procuramos oferecer livros com temáticas diversificadas, atuais e que transmitam conhecimento e cultura. Dessa forma, buscamos parceria com autores, gráficas, livrarias, distribuidores e colaboradores internos, estreitando, assim, as relações.

Visão
Posicionar-se no mercado literário brasileiro de forma que nossos autores se tornem reconhecidos pelos seus trabalhos e ser referência de uma Editora que se preocupa em transmitir conteúdos de qualidade.

Valores​
  • Seleção de textos relevantes e atuais para os leitores.;
  • O trabalho em equipe é uma conquista diária;
  • Valorização da criatividade e da originalidade.​

Alguns livros lançados pela editora:
Resultado de imagem para meu pai e o bicho!
Meu pai é o Bicho!
ISBN: 9788566442083
Autor: Silvio Costa
Ilustrador: Alexandre Ostan
Edição: 1ª
publicação: 2016
Páginas: 28
Formato: brochura, 21x28 cm

Meu pai é o Bicho diferencia-se pela linguagem e pelo tema. Um pai que se transforma em vários animais: pinguim, gato, urso, zebra, canguru, leão, tigre... de acordo com a criatividade do filho.

No imaginário das crianças, os pais são a referência de força, segurança e, dessa forma, não são raras as comparações com super heróis. O texto de Sílvio Costta e as ilustrações de Ostan abordam a relação pai e filho de uma perspectiva natural e, porque não, selvagem!

9788566442052.jpg

Estevão, o desconectado
ISBN: 9788566442052
Autora: Vivian Saad
Edição: 1ª
Publicação: dez. 2015
Páginas: 32
Formato: brochura, 21x24 cm

Estevão é um garoto como vários outros de uma geração que já "nasce" conectada. Como muitos deles, Estevão não consegue desconectar! Conectado ao tablet e desconectado da vida, um dia ele percebe que...

Trata-se de um livro belíssimo tanto pelas ilustrações quanto pela mensagem e pode contribuir para os pais e professores na difícil missão de dosar o uso de celulares, tablets e computadores na escola. É de leitura rápida e com certa musicalidade. A cada página, encontra-se cenário para discutir o tema tecnológico, apresentar uma novidade, explicar um fenômeno natural, despertar a consciência como cidadão, entre outras possibilidades, tanto quanto a imaginação puder florescer.​​


Espero que gostem da novidade!
Beijos
Pin It button on image hover